Revista Vírus | Sou sapatão sim, inclusive gosto!Revista Vírus
40080
post-template-default,single,single-post,postid-40080,single-format-standard,ajax_leftright,page_not_loaded,,qode-theme-ver-9.4.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Sou sapatão sim, inclusive gosto!

Sou sapatão sim, inclusive gosto!

Por Ana Claudino*

 

A construção do amor próprio

Sempre tive muita dificuldade em aceitar quem eu era. Buscava inúmeras referências fora de mim e tentava me encaixar em algum padrão existente. Também me achava inferior intelectualmente.

Por causa do racismo, achava que minha pele, meu corpo e meu cabelo eram “feios’’. Passei muitos anos dentro dessa lógica até perceber que amor próprio é uma construção diária de nós com nós mesmas num processe de muito afeto e autocuidado envolvidos.

A identidade sapatão

Com o processo de construção do amor próprio, eu passei a falar nos lugares que eu era sapatão e fazia questão de dar ênfase na palavra sapatão para ressignificar um termo antes visto como pejorativo pra mim.

Sapatão, lésbica, fanchuda, caminhoneira, menina do rio…. Todos esses termos antes eram usados como forma de ofensa. Lembro na minha infância, quando eu ainda nem sabia sobre minha orientação sexual, as pessoas ficavam me chamando de sapatão e eu não entendia porque aquilo era uma ofensa.

Assumir sapatão como identidade me fez mais forte e passei a ter mais coragem pra enfrentar o mundo e ser eu mesma. Desde as roupas, o cabelo curto, o jeito de falar e de ser, até os meus posicionamentos sociais. Foi um processo muito libertador.

Começar um canal no Youtube( Sapatão Amiga) me ajudou muito nessa construção desconstruída porque passei a compartilhar minhas audiovivências (parafraseando o escrevivências) com outras sapatonas parecidas comigo e minha voz passou a ser ouvido em vários lugares.

Hoje sou minha referência

Com 26 anos me tornei tudo o que eu sempre quis ser na minha adolescência. Mas eu só tenho que agradecer a Ana de 16 anos que me fez chegar até aqui hoje.

Quero deixar um conselho e umapra vocês: amor próprio não é egoismo e vocês já se amaram hoje? Até a próxima.

 

* Ana Claudino é preta, gorda, sapatão, diretora de arte e Youtuber do canal Sapatão Amiga.Integra também a Coletiva SapaRoxa – RJ. Contato: analimaclaudino@gmail.com

 

Comente com o Facebook
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.