Revista Vírus | LUPA CRÍTICA – VIRAR O JOGO ANTES DE 2018Revista Vírus
40022
post-template-default,single,single-post,postid-40022,single-format-standard,ajax_leftright,page_not_loaded,,qode-theme-ver-9.4.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

LUPA CRÍTICA – VIRAR O JOGO ANTES DE 2018

LUPA CRÍTICA – VIRAR O JOGO ANTES DE 2018

Por Hamilton Octavio de Souza

Ilustracão: Ribs / Revista Vírus

LIXÃO ELEITORAL

Por 39 votos a 26, a Comissão de Constituição da Câmara dos Deputados rejeitou a denúncia da Procuradoria Geral da República contra o presidente Michel Temer (PMDB), acusado de organização criminosa e obstrução da Justiça. Por 44 votos a 26, o Senado derrubou a decisão do Supremo Tribunal Federal que havia afastado o senador Aécio Neves (PSDB) de suas funções como medida cautelar na investigação de caso de propina. Atualmente 19 senadores, inúmeros deputados e vários ministros são investigados ou réus por crimes de corrupção, principalmente do PMDB, PP e PT. Os poderes da República se movimentam para livrar a cara de todos. É o Brasil das eleições de 2018!

ESQUERDA FALHOU

Em entrevista para BBC Brasil (15.10.2017), o escritor Tariq Ali, respeitado intelectual de esquerda do Reino Unido, afirma que Ser socialista hoje significa querer um sistema muito mais democrático do que jamais existiria no capitalismo, com democracia em todos os níveis. Sobre a luta política na América Latina, avalia que a esquerda falhou “na hora de implementar reformas estruturais profundas em uma sociedade capitalista. Eles não romperam com o sistema. Chávez até tentou em seus primeiros anos, Lula nem isso. A resposta para lutar contra a burguesia tradicional venezuelana não era criar uma burguesia bolivariana. Ou uma burguesia do PT, no caso do Brasil. Isso não funciona”. É isso aí!

DESINDUSTRIALIZAÇÃO

Levantamento da entidade Unido recentemente divulgado confirma dados de outros centros de pesquisa sobre o enfraquecimento da indústria brasileira nos governos Lula e Dilma. De acordo com a entidade, a indústria brasileira teve, em 2005, um total de 2,88% de participação na indústria global, mas sofreu redução em 2010 para 2,71%, e nova redução em 2016 para 1,84%. Assim, o Brasil, que já foi classificado como o 7º país industrial em 2005, caiu para o 9º lugar em 2010, não está mais entre os dez maiores no ranking internacional. A indústria nacional chegou a representar 3,47% da indústria global em 1995. A queda da inserção industrial brasileira tem a ver com juro alto, política de importações e exportações e baixa produtividade . Uma desgraça!

TRABALHO ESCRAVO

A última maracutaia do governo Temer foi a portaria que alterou as normas técnicas para atuação da fiscalização nos casos de trabalho degradante ou análogo à escravidão. A portaria do Ministério do Trabalho muda o conceito, retira autonomia dos fiscais e passa para o próprio ministro o poder de divulgar a lista suja das empresas e empregadores que se utilizam de trabalho escravo; atenta contra a Constituição Federal, o Código Penal e tratados firmados com a OIT. Tudo para atender interesses de deputados e senadores da bancada ruralista, que quer a volta do Brasil ao Século 19. Ainda bem que a resistência é grande nos órgãos públicos e na sociedade. Escândalo mundial! Tomara que caia!

PROPOSTA ARROJADA

A governadora de Tóquio, no Japão, Yuriko Koike, em campanha para as eleições do dia 22 de outubro, fez grande sucesso com discurso inovador em prioridades e compromissos no Programa de 12 Zeros, exposto da seguinte forma: Zero energia nuclear; Zero impunidade para corporações; Zero doação empresarial para políticos; Zero fila nas creches; Zero fumo passivo; Zero superlotação em transporte coletivo; Zero abandono de animais domésticos; Zero desperdício de comida; Zero violação de direitos trabalhistas; Zero idosos ou deficientes sem acesso ao transporte público; Zero fios e cabos aéreos pendurados em poste; Zero febre de rinite alérgica. Vale perfeitamente para o Brasi l.

MAIS VERBAS

Na Jornada de Lutas de Outubro, o MST ocupou o Ministério do Planejamento, em Brasília, e escritórios do Incra em vários estados, com a participação MPA, Contag, CUT e CTB para denunciar o desmonte da política de reforma agrária e o corte no orçamento de programas voltados para a segurança alimentar. A mobilização visa pressionar o governo federal a restabelecer mais verbas para o orçamento de 2018 nos programas de reforma agrária, de agricultura familiar, de Aquisição de Alimentos (PAA), de Educação na Reforma Agrária (Pronera) e também para a Faixa 1, de até R$1.800,00, do Programa Minha Casa Minha Vida. Essa luta deve ser de todo o povo brasileiro.

BANCADA REACIONÁRIA

Levantamento do Conselho Indigenista Missionário revela que existem atualmente, no Congresso Nacional, 33 proposições contrárias aos povos indígenas, a maior parte (17) com alterações na demarcação das terras; outras sustam portarias declaratórias, transferem para o Congresso a competência para aprovar e gerir as demarcações, autorizam o arrendamento e estabelecem indenização para quem invadiu reserva indígena após 2013. Trata-se da maior onda de ataque aos povos indígenas promovida pelo Congresso Nacional mais reacionário desde a Ditadura Militar, e que foi eleito em 2014 no embalo das candidaturas Dilma Rousseff e Aécio Neves. Um desastre!

DESASTRE TOTAL

De acordo com reportagem de Elaine Patrícia Cruz, na Agência Brasil (17.10.2017), menos de 60% dos jovens de 15 a 17 anos conseguem concluir o ensino médio no Brasil. Estudo organizado pela Fundação Brava, Instituto Unibanco e Instituto Ayrton Senna concluiu que 2,8 milhões de jovens abandonam o ensino médio todos os anos e que, nesse ritmo, a metaestabelecida no Plano Nacional de Educação, de universalizar o acesso à escola nessa faixa etária, que deveria ter sido cumprida em 2016, só será atingida em 200 anos. Graças aos governantes, o Brasil continua sendo o país sem futuro e das mil promessas que evaporam no ar. Será possível mudar isso sem revolução?

GRANDE VIRADA

Se todas as forças políticas progressistas e de esquerda (partidos, movimentos, grupos) atuassem unidas e coerentemente para combater a corrupção e demais desvios nefastos ao sistema democrático, com certeza seriam afastados de mandatos eletivos e cargos públicos os políticos mais conservadores e mais vinculados aos esquemas das velhas e atrasadas oligarquias. Os trabalhadores e o povo brasileiro só teriam a ganhar se ficarem afastados da política e das eleições os responsáveis pela contínua desmoralização da democracia brasileira como Calheiros, Barbalho, Jucá, Sarney, Cunha, Maluf, Collor, Lobão, Geddel etc. Só eles ganham quando impedem a depuração e mantêm seu esquema de poder em pleno funcionamento. Chega, né?

 

CONTINUA NA PRÓXIMA SEMANA…

Comente com o Facebook

Autor

Hamilton Octavio de Souza
Hamilton Octavio de Souza

Hamilton Octavio de Souza é jornalista profissional desde 1972, trabalhou na imprensa corporativa, sindical e popular, foi editor das revistas Sem Terra e Caros Amigos e colunista do jornal Brasil de Fato. Foi professor da PUC-SP por 34 anos, chefe do Departamento de Jornalismo e diretor da Apropuc. Faz parte da equipe de VÍRUS e colabora com o Correio da Cidadania, entre outros veículos.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.